© 2013 by Chão de Areia Lda. All rights reserved.

images.png
instagram.png

HISTÓRIA/HISTORY

A Adega Viúva Gomes, fundada em 1808, está situada em Almoçageme, freguesia de Colares, num perímetro vinícola demarcado em 1908, caracterizado pelas dunas e solos arenosos, presentes no litoral do concelho de Sintra, entre a Serra e o Oceano Atlântico, desde o Cabo da Roca a Magoito.

 

A ligação de Colares ao vinho perde-se no tempo, mas há conhecimento que na altura da ocupação romana já se fazia vinho nesta região, posteriormente, em 1230, o Rei D. Afonso III, entregava terras aos nobres na condição de implementarem o cultivo da vinha.

A Região de Colares evidenciou-se nos finais do século XIX, mais precisamente em 1865, quando desabou sobre a viticultura mundial uma das maiores ameaças até aos dias de hoje, a filoxera. Este minúsculo insecto, proveniente das Américas, começou a chegar vivo à Europa quando a duração das viagens foi reduzida devido à introdução das máquinas a vapor nos barcos. Curiosamente, as vinhas da região foram as únicas que resistiram na integra a esta praga, devido à profundidade das raízes, por vezes com 8 metros, não permitindo a sua propagação como acontecia noutro tipo de solos.

Actualmente em toda a Europa, excepto nas areias de Colares, é necessária a utilização de plantas americanas (resistentes ao insecto), enxertadas com castas europeias.

Adega Viúva Gomes, established in 1808, is located in Almoçageme, Colares, on a demarcated wine-growing region defined in 1908, characterized by its dunes and sandy soils sited on the coastline of Sintra, between the hills and the Atlantic Ocean, from Cabo da Roca until Magoito.

 

Colares has been connected to the wine for centuries, there are registers that wine was produced in this region since the Roman Empire. After, in 1230, the King D. Afonso III, as a landlord, demanded the plantation of vines.

The Colares Wine-growing Region became well known by the end of the XIX century, most precisely in 1865, when the biggest threat of wine history arrived to Europe - Phylloxera. This tiny insect, original from the American Continent, was arriving to Europe alive when trips were shortened by the introduction of steam engines in boats. Colares' vineyards were resistant to phylloxera due to roots' deepness in the sand, 8 meters in some cases, where the insect could not reach.

Today everywhere in Europe, except in the sands of this region, the use of the American plant (resistant to the insect) was adopted, grafted with European grape varieties.